a
a

BallasCast – Episódio 11 – Doutores da Alegria

 

Clique aqui para ler a transcrição do episódio.


Senhoras e senhores, laaaaadies and gentlemaaaaaaaans, madames et messieurs, pernilongas e pernilongos, está começando mais um BallasCast…


MÚSICAAAA.


Olá, olá, olá!


Seja mais uma vez bem vindo ao BallasCast, ou bem vinda ao BallasCast, ou bem vindo á/ao BallasCast.


Você independente de onde estiver, na sua casa, na rua, na chuva, na fazenda, ou numa casinha de sapé, é sempre MUITO bem vindo…


Então vamos continuar mais um episódio…


OF THE HISTORY, OF MY LIFE!


 


DOUTORES DA ALEGRIA


 


No episódio anterior eu contei que eu tinha assistido um espetáculo de improviso, que eu tinha ficado maravilhado e tal, mas era uma coisa muito longe.


Eu vi uma coisa tão incrível, eu não tinha noção de que algum dia eu iria trabalhar com isso e eu continuei lá na França, fazendo espetáculos na rua, fazendo pequenos cabarets, estudando palhaço.


Depois de três anos em Paris eu resolvi que era hora de voltar ao Brasil. Então eu fiz os últimos trabalhos, reuni uma graninha extra, fiz tudo, tudo, tudo que dava pra fazer lá e voltei ao Brasil…


 


Música.


 


Chegando no Brasil eu tava com medo por que eu não sabia como é que eu iria sobreviver como palhaço no Brasil.


Meu irmão, inclusive, me ofereceu de voltar a trabalhar na papelaria, de fazer um bico lá mas eu não … Eu estava certo de que eu queria tentar ser um palhaço profissional, e o primeiro lugar que eu fui procurar foram “Os Doutores da Alegria”.


Como eu havia contado lá atrás, no início desse Podcast, se você não ouviu, OUÇA…


O meu sonho era ser palhaço em hospital, eu queria trabalhar nos Doutores da Alegria, esse era o sonho da minha vida.


Então eu fui atrás deles pra saber se eles estavam com vagas, e dei sorte porque naquele momento estava aberta uma seleção para novos candidatos.


YESSSS.


Os Doutores da Alegria pra quem não conhece, é um projeto de palhaço em hospital, que começou aqui em São Paulo, mas originalmente ele veio dos Estados Unidos de Nova Iorque.


Lá em Nova Iorque tinha um grupo chamado Big Apple Circus, que era um circo grande lá.


E um dia um hospital chamou um dos palhaços, o Michael Christensen que é o fundador do Clown Care Unit, lá em Nova Iorque que inclusive eu encontrei. Você pode ounir isso também no episódio três…


E chamou pra fazer uma intervenção dentro do hospital.


E ele quando foi, ele falou:


– Poxa, eu não vou simplesmente de palhaço! Eu quero ir de alguma outra coisa!


Mas ele não sabia o que…


Ele ficou pensando, pensando, pensando, e aí ele pensou:


“Poxa! Quem é a figura de maior autoridade no hospital? Quem é a figura mais respeitada dentro do hospital? É O MÉDICO. O médico é a maior autoridade dentro do hospital”.


E o palhaço é esse que tenta sempre subverter sempre as regras, subverter a hierarquia.


Então lá foi ele vestido de médico, com um jaleco branco, como se fosse um médico fazer aquela intervenção no hospital.


E ele conta que chegando lá ele preparou algumas esquetes, alguns truques e na hora, ele teve que jogar tudo fora.


Por que no hospital você não consegue fazer a mesma coisa que você faz no espetáculo.


Você tem que jogar quarto a quarto, momento a momento, instante a instante…


Foi muito legal, ele conta que foi uma experiência bacana…


E a partir desse dia, o hospital chamou-o pra trabalhar regularmente no hospital, então eles abriram o Clown Care United


E anos depois, um brasileiro, o Wellington Nogueira, trabalhou com eles e anos mais tarde trouxe o projeto ao Brasil chamando o projeto de Doutores da Alegria.


 


Música.


 


Então lá estava eu numa seleção de mais de trezentos palhaços do Brasil inteiro.


Era uma seleção muito concorrida, eram pouquíssimas vagas, principalmente pelo fato de que os Doutores são um projeto remunerado, profissional…


Não é um projeto voluntário…


Então os palhaços ganham pra trabalhar, tem uma formação específica.


Então era um projeto, desde aquela época, já muito concorrido.


Então passei a primeira fase.


Passei a segunda fase.


Passei a terceira fase, e cheguei na fase final…


Eram quatorze palhaços concorrendo apenas uma vaga.


E é muito interessante porque numa seleção de palhaços você tem apenas palhaços, que tão jogando o tempo todo.


Então tem algumas dinâmicas, então você tem que jogar e jogar bem, jogar pra valer…


E ajudar seu companheiro e ele te ajudar.


É um ajuda-ajuda ao mesmo tempo você está concorrendo com aquela pessoa que está do seu lado.


E não têm pessoas de nome André, José, Talita, Paula… NÃO.


Você está concorrendo com o Chabilson, com a Bife, com a Kinan, com o Comendador Nelson, com A DuPorto, que eram os palhaços da minha seleção, e eu João Grandão.


Terminou essa fase a gente foi pra casa e eles falaram:


– Bom! A gente entra em contato com vocês! Muito Obrigado!


Eu fiquei alguns dias ali, rezando, torcendo, esperando o telefone tocar… até que o telefone toca e eu recebo a notícia:


– MAAAARCIO! P-A-R-A-B-É-N-S! VOCÊ AGORA É UM DOUTOR DA ALEGRIA!


Eu fiquei muito feliz…


Eu gritava, eu chorava, eu ria, a minha mãe falou:


– Marcio! O que tá acontecendo?


-Mãe… MÃE… Eu passei… EU PASSEI… EU TÔ NOS DOUTORES DA ALEGRIA! EU SOU DOUTOR DA ALEGRIA!


Realmente tinha sido uma coisa muito, muito, muito grande pra mim, era o meu primeiro trabalho profissional como palhaço e eu ia fazer a coisa que eu mais queria no mundo…


Ainda ia receber pra isso, eu ia ganhar pra fazer isso, e eu tava realizando um sonho.


Eu sonhava em ser palhaço em hospital há muitos anos.


Eu lembrei de três anos antes que eu tinha largado tudo com vinte e sete anos, deixei a papelaria que eu trabalhava pra trás…


Eu fui pra Nova Iorque


Depois eu fui pra França


Eu estudei, eu pesquisei…


Eu passei por muitos, muito, muitos perrengues…


E agora eu conseguia realizar o sonho da minha vida.


A partir desse dia eu era um Palhaço Proffisional no Hospital.


 


Fim do episódio.


Música.


Muito bem, muito bem, muito bem, chegamos ao final de mais um episódio (AAAAAAAAAHHHHH), mas na segunda feira que vem tem mais (EEEEEEEEEEEHHHHHHH).


E se você quiser dar feedback sobre o Podcast, você pode entrar no grupo BallasCast lá no Facebook e falar o que você tá achando, quem você quer que eu entreviste, como por exemplo…


Nelson Guimarães que falou que está gostando…


Geraldo Filho que acha que tá muito legal…


A Elen Biaquesi que sugeriu de entrevistar os Barbixas, sugestão aceita, já estão na lista dos entrevistados.


Felipe Pupi que deu a ideia de fazer jogos de improviso em áudio, pra ver como sairia. Felipe Pupi TEREMOS jogos de improviso por aqui.


 


E vamos agora ao momento merchan..


 


“Ôôô Marcio Ballas, eu queria xaber como eu faço nas férias um curso de palhaço, um curso de imploviso, eu ouvi dizer da casa do humor, como que é esse negócio?


É fácil.


Agora em FEVEREIRO teremos os cursos de férias pra qualquer pessoa interessada.


Curso de improviso, curso de palhaço, curso de stand up.


Não tem que ter nenhuma experiência em nada, você precisa ser apenas maior de dezesseis anos, ter dinheiro pra pagar e pode até ter a língua presxxa.


Casadohumor.com.br


É isso aí…


A gente se ouve aqui na próxima segunda-feira.


Obrigado pela sua audiência.


 


Thank you very much…


And see you next Monday the… next day for Sunday and unday, and after Thursday, Monday, Friday, and ashjsjhukg Friday…


 


Thank you…


Seeeee YOU.


Bye bye!


Motherfofo…eeeeerrs.


Comentários

Loading Facebook Comments ...